Isso não são pontos negros!

A verdade é que grande parte das pessoas não tem pontos negros mas sim filamentos sebáceos. Como assim? Não estão a perceber? Então basta continuarem a ler este artigo porque vou explicar tudo.

Não são pontos negros?

Não sei se vocês sabem mas eu faço limpezas de pele e encontro imensas pessoas que acham que têm pontos negros mas na realidade têm filamentos sebáceos. E aposto que, muito provavelmente, é esse o vosso caso. Pelo menos é o meu.

O que são filamentos sebáceos?

Os filamentos sebáceos são pequenos “pontos” esbranquiçados ou amarelados e aparecem normalmente na região do nariz e do alto das maças do rosto. Regra geral, as pessoas com pele mais oleosa ou mista (oleosa na zona T) têm uma maior tendência para produzir mais óleo e sebo. Como estas pessoas costumam ter os poros mais dilatados, estes resultam frequentemente no aparecimento de filamentos sebáceos.

Qual é a diferença entre pontos negros e filamentos sebáceos?

pontos negros

Além do aspecto visual ser diferente, uma vez que os pontos negros são normalmente maiores e, como o nome indica, pretos. Além disso, estes podem sofrer uma inflamação e transformar-se em acne. O mesmo não acontece com os filamentos sebáceos.

Acho que comparando as imagens é muito mais fácil para perceber as diferenças de cada um. E vocês? Qual é o vosso caso?

O que fazer?

Caso tenham algum destes “problemas” deixo aqui o link para um artigo onde explico e dou algumas dicas do que podem fazer para os controlar.

Aproveito ainda para partilhar com vocês algumas dicas para ajudar a controlar a oleosidade. Basta clicar aqui.

Se tiverem alguma dúvida, deixem nos comentários. Assim que possível eu respondo.

Antes de saírem aproveitem para ler os últimos artigos que publiquei. Nomeadamente:

2 comentários em “Isso não são pontos negros!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos relacionados

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo